Mente Vazia

Tudo muda, nada acontece

Tudo nasce, nada cresce

Tudo planta, nada floresce

Tudo deseja, nada merece

Tudo noite, nada amanhece

Tudo vê, nada conhece

Nada escreve, tudo padece

Nada ler, tudo esquece

Nada vem, tudo vai

Tudo foi e não vem mais.

Aldeniço Júnior

Fugindo de mim

Queimei antigos cadernos, risquei antigos textos, excluí antigos posts. Tudo isso em uma tentativa frustrada de apagar o passado. Uma tentativa de esquecer, mas como?

Como irei esquecer se cada palavra escrita faz parte de mim? Cada texto é um pedacinho do momento que vivi. Cada vírgula, cada ponto foram marcados com lágrimas ou pausas para enxugá-las.

Mesmo que eu destrua tudo, a minha história não mudará, pois a memória é o diário principal e mesmo que as lembranças sejam dolorosas a tinta que registrou não apaga, na melhor das hipóteses o tempo a desbotará.

Aldeniço Júnior

Superproteção

Enquanto caminho a sombra de meus pais, mais distante eu fico de mim

Enquanto caminho em seus passos, penso que não sou capaz sozinho

Enquanto aceito suas opiniões, percebo que não sei pensar

Enquanto sigo suas crenças, descubro que não sei acreditar

Enquanto vivo como eles querem, vejo que não sei viver

Segurando minha mão, eles me ensinaram a andar, mas não aprenderam a hora de soltar.

Aldeniço Júnior

Complexo

A simplicidade do ser se mistura com a complexidade das histórias.

São rasas as cicatrizes, mas expressam a profundidade dos traumas


São inúmeras verdades acobertadas por mentiras mais fáceis de se entender


É uma vida inteira vivida em um breve momento


Aprendizados de um ancião para alguém tão jovem.

Aldeniço Júnior

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora